sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

A CONQUISTA EM 2012


A construção da sede social do Clube foi a grande conquista da Fiorentina em 2012. Foi um sonho realizado. O edifício foi inaugurado em Junho.

Nessa ocasião, o então presidente da direcção da Fiorentina do Porto Novo, Odair Almeida, disse que a inauguração da sede social da agremiação desportiva representava a “realização de um sonho”.


O projecto resultou da remodelação de um edifício cedido pela Câmara Municipal, no âmbito de um protocolo firmado entre as duas instituições. Dispõe de um espaço administrativo, uma explanada, uma sala multi-uso, uma arrecadação, de entre outras estruturas.

O então substituto do Presidente da Camada Municipal o Porto Novo, Leonildo Oliveira, quem presidiu ao acto, enalteceu o papel da Fiorentina no desenvolvimento das diversas modalidades desportivas no Porto Novo, considerando o clube “um exemplo da organização”.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

DIA DO DESPORTO


Algumas actividades desportivas nas modalidades de salão e um espectáculo de dança aeróbica no largo da Câmara Municipal marcam as comemorações do Dia do Desporto Cabo-verdiano em Porto Novo. A data se assinala este domingo, dia 11. 

O programa comemorativo do Dia do Desporto Nacional no Porto Novo, a cargo da edilidade local, prevê a realização, domingo, de um festival de basquetebol e dois jogos a nível do andebol e voleibol.

De acordo com uma nota do gabinete da juventude e desporto da edilidade portonovense, pretende-se com essas actividades promover alguma movimentação desportiva nesse dia tão importante para o desporto cabo-verdiano.

O Dia do Desporto cabo-verdiano é comemorado no 2º Domingo de Novembro de cada ano.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

HISTÓRIA DO FUTEBOL


 O futebol é um dos desportos mais populares no mundo. Embora não se tenha muita certeza sobre os primórdios do futebol, historiadores descobriram vestígios dos jogos de bola em várias culturas antigas.
Estes jogos de bola ainda não eram o futebol, pois não havia a definição de regras como há hoje, porém demonstram o interesse do homem por este tipo de desporto desde os tempos antigos.
O futebol tornou-se tão popular graças a seu jeito simples de jogar. Basta uma bola, equipes de jogadores e as traves, para que, em qualquer espaço, crianças e adultos possam se divertir com o futebol. Na rua, na escola, no clube, no campinho do bairro ou até mesmo no quintal de casa, desde cedo jovens de vários cantos do mundo começam a praticar o futebol. ndo o Episkiros, porém o jogo tomou uma conotação muito mais violenta.
Origens do futebol na China Antiga
Na China Antiga, por volta de 3000 a.C, os militares chineses praticavam um jogo que na verdade era um treino militar. Após as guerras, formavam equipes para chutar a cabeça dos soldados inimigos. Com o tempo, as cabeças dos inimigos foram sendo substituídas por bolas de couro revestidas com cabelo. Formavam-se duas equipes com oito jogadores e o objectivo era passar a bola de pé em pé sem deixar cair no chão, levando-a para dentro de duas estacas fincadas no campo. Estas estacas eram ligadas por um fio de cera.
O futebol chega à Inglaterra
Pesquisadores concluíram que o gioco de calcio saiu da Itália e chegou a Inglaterra por volta do século XVII. Na Inglaterra, o jogo ganhou regras diferentes e foi organizado e sistematizado. O campo deveria medir 120 por 180 metros e nas duas pontas seriam instalados dois arcos retangulares chamados de gol. A bola era de couro e enchida com ar. Com regras claras e objetivas, o futebol começou a ser praticado por estudantes e filhos da nobreza inglesa. Aos poucos foi se popularizando. No ano de 1848, numa conferência em Cambridge, estabeleceu-se um único código de regras para o futebol. No ano de 1871 foi criada a figura do guarda-redes (goleiro) que seria o único que poderia colocar as mãos na bola e deveria ficar próximo ao gol para evitar a entrada da bola. Em 1875, foi estabelecida a regra do tempo de 90 minutos e em 1891 foi estabelecido o pênalti, para punir a falta dentro da área. Somente em 1907 foi estabelecida a regra do impedimento.

O profissionalismo no futebol foi iniciado somente em 1885 e no ano seguinte seria criada, na Inglaterra, a International Board, entidade cujo objetivo principal era estabelecer e mudar as regras do futebol quando necessário. 
No ano de 1897, uma equipe de futebol inglesa chamada Corinthians fez uma excursão fora da Europa, contribuindo para difundir o futebol em diversas partes do mundo.
Em 1888, foi fundada a Football League com o objetivo de organizar torneios e campeonatos internacionais.
Criação da FIFA
No ano de 1904, foi criada a FIFA ( Federação Internacional de Futebol Association ) que organiza até hoje o futebol em todo mundo. É a FIFA que organiza os grandes campeonatos de selecções ( Copa do Mundo ) de quatro em quatro anos. Em 2006, aconteceu a Copa do Mundo da Alemanha, que teve a Itália como campeã e a França como vice.A FIFA também organiza campeonatos de clubes como, por exemplo, a Copa Libertadores da América, Copa da UEFA, Liga dos Campeões da Europa, Copa Sul-Americana, entre outros.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

FIORENTINA 18 ANOS


A Fiorentina comemora, esta sexta-feira, 26 de Outubro, 18 anos de vida. O clube foi fundado em 1994 e oficializado em 2003. É uma instituição com muita história.

Tem feito o seu percurso com altos e baixos, como é normal na vida de qualquer organização,  mais um trajecto de sucesso.  

São muitas as conquistas do clube ao longo desses anos e muito significativo tem sido o contributo que a Fiorentina tem vindo a dar ao desporto portonovense.

Esse contributo é evidente e tem sido dado através da promoção das diversas modalidades: futebol, futsal, basquetebol, andebol, atletismo…

No futebol, o clube conquistou em 2007/2008, o título de CAMPEÃO REGIONAL em Santo Antão-Sul. Ainda no futebol, a escola de futebol, que em Agosto assinalou 4 anos existência, é um dos mais importantes projectos implementados até agora pela Fiorentina.

No basquetebol, além de 2 campeonatos de Santo Antão, a Fiorentina foi revelação nacional, em 2009.

Em 2011, a nossa agremiação abraçou um novo projecto a nível de andebol, com uma equipa forte, que conquista um troféu.

Por circunstâncias várias, a Fiorentina deixou de competir oficialmente em 2010/11 a novel do futebol federado, mas regressou na época 2011/12.

Fiorentina continua o seu percurso. E, já que, o desporto não é apenas futebol, o clube não pára de dar o seu contributo para que o desporto em Santo Antão vá adiante.

Neste ano de 2012, a grande aposta foi a construção da sede social do clube, cuja inauguração teve lugar em Junho.

sábado, 6 de outubro de 2012

CLUBES E PATROCÍNIO


O Dr. Amadeu Cruz, que foi presidente da Câmara Municipal do Porto Novo nos últimos 8 anos, defendeu, recentemente, na abertura de um curso para dirigentes desportivos em Santo Antão, que o Governo devia incentivar as empresas a apoiarem o desporto nas chamadas ilhas periféricas, como Santo Antão.   


O Governo, através da Direcção-Geral dos Desportos (DGD), devia, no quadro da legislação aplicada ao mecenato, criar incentivos fiscais às empresas que patrocinem clubes “fora dos grandes centros urbanos, sugeriu o Dr. Amadeu Cruz, que já dirigiu um clube de futebol: Os Sanjonenses, da Ribeira das Patas, Porto Novo.   

O então Presidente da Câmara do Porto Novo lamentou o facto de as empresas preferirem apoiar apenas os clubes da Praia, São Vicente e do Sal, precisamente aqueles têm melhores condições de sobrevivência.

Em Santo Antão, os clubes sobrevivem apenas com apoios das Câmaras Municipais, ajudas essas que sequer dão para garantir as refeições aos jogadores em dias de jogos.


A questão levantada pelo economista suscita algumas reflexões. De facto, as empresas nacionais preferem patrocinar os grandes clubes da Praia, Mindelo e do Sal.


Mas, porque?

Alguém dizia que quando um empresário decide apoiar um clube porque é amigo ou parente do presidente desse clube. Não deixa de ser uma verdade.


É claro que um presidente de um clube que tem um amigo na administração de uma empresa tem a vida facilitada, quando se trata de pedir patrocínios.


Mas, há que suscitar uma reflexão sobre essa matéria. Será que os clubes fazem “trabalho de casa”. Muitas vezes o insucesso na procura de apoios ou patrocínios pode estar relacionado com a desorganização dos próprios clubes.  

Num artigo publicado no jornal A Semana, em Fevereiro, o Sr. Emanuel C. D’Oliveira, caracteriza a actual situação dos clubes: “…pouquíssimos são os clubes convenientemente organizados. A maioria não passa, na verdade, de grupos de aficionados…são pessoas de muita boa fé, mas sem tempo e com pouca experiencia em gestão desportiva”.


O artigo adianta que, nas condições descritas acima, “dificilmente se pode conseguir um patrocínio consistente e duradoiro”.

O que acontece, geralmente, em Cabo Verde é que, na maioria das vezes, são oferecidas a essas pessoas equipamentos, bolas ou algum emprego.

Para o Sr. Emanuel Charles D’Oliveira “… amigos dos clubes, quando bem posicionados ou endinheirados”, oferecerem algum apoio, sem esperar ou exigir retorno sob nenhuma forma”.

Isso mostra que, geralmente, a amizade entre os dirigentes dos clubes e das empresas marca diferença.

Mas, o senhor Emanuel C. D’Oliveira considera que, dos muitos clubes existentes em Cabo Verde, poucos são aqueles que dão sinais de modernização ou estão preparados para os desafios actuais, em termos de gestão desportiva.

Quando vão à procura de patrocínios, não oferecem nada ou muito pouco em troca às empresas, cujo objectivo é produzir lucro.

Isso dificulta muito as coisas.  

Para o Sr. Emanuel C. D’Oliveira, …quem for à procura de patrocínios e apresentar propostas convincentes e beneficias para o patrocinador terá muito mais probabilidades de conseguir os seus intentos.
Mas, competições pouco competitivas e uma fraca cobertura mediática dos eventos promovidos pelo clube pode ser obstáculos importantes.

NOTA: A primeira iniciativa de patrocínio desportivo de que há registo data de 1850, um senhor de nome John Wisden dono de uma marca de roupas na Grã-Betanha, resolveu patrocinar um anuário de Cricket. Desde desse tempo o patrocínio desportivo tem acompanhado a evolução económica, a sociedade e os seus fenómenos sociais.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

18º ANIVERSÁRIO


 A Direcção da Fiorentina prepara o programa comemorativo do 18º aniversário do Clube, que foi fundado no dia 26 de Outubro de 1994.

Do programa para assinalar os 18 anos de vida da Fiorentina, se destacam, entre outros eventos, um torneio de futebol, envolvendo grandes equipas nacionais., que já está na fase de preparação.

A data vai ser marcada ainda por outras actividades de natureza cultural e recreativa.

Enquanto isso, a equipa de futebol prossegue com a preparação com vista à sua participação nas competições na temporada 2012/13. 

Ver, à esquerda (coluna Pages) o historial da Fiorentina, nesses últimos 18 anos. Um percurso invejável. 

domingo, 17 de junho de 2012

SONHO REALIZADO


O Grupo Desportivo e Cultural Fiorentina, com sede na cidade de Porto Novo, Santo Antão dispõe já da sua sede social, edifício inaugurado sábado pelo presidente substituto da Câmara Municipal do Porto Novo.

O presidente da direcção da Fiorentina do Porto Novo, Odair Almeida, disse que a inauguração da sede social da agremiação desportiva representante a “realização de um sonho”, adiantando que esse espaço vai ser colocado ao serviço da comunidade da Ribeira de Corujinha, onde está sediado o clube.

A sede da Fiorentina, que resultou da remodelação de um edifício cedido pela Câmara Municipal, no âmbito de um protocolo firmado entre as duas instituições, dispõe de um espaço administrativo, uma explanada, uma sala multi-uso, uma arrecadação, de entre outras estruturas.

O presidente substituto da Camada Municipal o Porto Novo, Leonildo Oliveira, enalteceu o papel da Fiorentina no desenvolvimento das diversas modalidades desportivas no Porto Novo, considerado o clube “um exemplo da organização”.


Leonildo Oliveira enalteceu também os investimentos feitos pela edilidade portonovense na criação de infra-estruturas para a promoção do desporto no Porto Novo, como destaque para o estádio municipal, que ele considerou “um dos mais bonitos estádios de futebol do país”.


A Fiorentina, fundada em 1994, tem no seu historial, vários títulos, de entre os quais o de campeão regional de futebol da Zona Sul de Santo Antão em 2007/08. 

segunda-feira, 11 de junho de 2012

INAUGURAÇÃO DA SEDE


 O próximo dia 16 de Junho, no sábado que vem, vai ficar na história da instituição Fiorentina. Vai ser o dia da inauguração da SEDE do Clube. A concretização de um grande sonho, há muito acalentado por esta grande agremiação desportiva.

As obras estão a decorrer a bom ritmo e a Direcção acredita que no dia 16, tudo estará pronto para a inauguração, uma data que, sem dúvidas, marcará uma nova etapa na vida da Fiorentina.

Os sócios da Fiorentina puderam, este domingo, dia 10, testemunhar a grandeza e utilidade da nova “casa” da Fiorentina. Deu até para realizar a Assembleia-Geral nesse espaço. Foi também um dia importante para este Clube que já faz parte, de uma forma irreversível, da história do futebol portonovense.

A construção da sede, que se deve à uma parceria com a Câmara Municipal do Porto Novo, é um dos mais importantes projectos da actual Direcção, presidida por Odair Almeida.

O jovem Jairson Tavares “Djocka”, até finais de 2011 Presidente do Clube, e um dos fundadores da Fiorentina, tem sido também fundamental na edificação desta importante obra.

Os sócios da Fiorentina agradecem a esses dois jovens dinâmicos que Porto Novo tem a sorte de ter no seu seio.   

domingo, 10 de junho de 2012

FUTURO RISONHO


Os sócios da Fiorentina estiveram reunidos este domingo, dia 10 de Maio, em Assembleia-Geral para a análise da situação da instituição que, apesar dos problemas normais na vida de qualquer agremiação, está a funcionar sem sobressaltos.

A instituição conseguiu realizar algumas acções de cariz social e ambiental.

No desporto, além de ter feito uma boa época a nível do futebol, a Fiorentina tem como meta conquistar o campeonato regional de andebol em sénior masculino de Santo Antão. Para isso, tem uma grande equipa, que já está nos playoffs.

O Presidente da Direcção, Odair Almeida, garante que augura-se para a Fiorentina “um futuro risonho”.

O Clube vai, dentro dias, inaugurar a sua sede, uma obra que representa a concretização de um sonho dos sócios da Fiorentina, que dá também um passo decisivo no sentido da tão desejada sustentabilidade.

A Fiorentina é, de resto, o único Clube em Santo Antão - Sul que apresenta aos sócios contas de gerência.

Para o Presidenta da Direcção, a boa gestão e transparência constituem a imagem de marca da Fiorentina que, semestralmente, reúne-se em Assembleia-Geral para o efeito.     

sábado, 19 de maio de 2012

AS PARCERIAS


A Fiorentina, ao longo desses anos, deu muita importância à questão das parcerias, como via para a resolução dos problemas ou então para promover a amizade entre o clube e as instituições congéneres e públicas.

De entre as parcerias estabelecidas pela Fiorentina, nos últimos anos, se destaca um acordo com a Câmara Municipal do Porto Novo, protocolo que abarca praticamente todas as áreas, desde o social, ambiente, desporto, etc.

Graças a esse acordo de parceria, o clube e a Câmara levaram a cabo várias iniciativas em prol da comunidade da Ribeira de Corujinha, mas também a Fiorentina beneficiou de muitos apoios da Câmara, com destaque para um televisor e um equipamento desportivo.

A Fiorentina estabeleceu também acordo com o Centro de Juventude do Porto Novo, que tem dado os seus frutos.

De entre os protocolos de cooperação assinados com associação desportivas congéneres, se destacam ainda o com o Solpontense, em 2008, e com o Salamansa FC, em 2009.

Com o Solpontense, foi disputada a Taça Amizade, em 2009, e com o Salamansa vários intercâmbios foram já levados a cabo a nível de sénior e júnior.

sexta-feira, 11 de maio de 2012

BLOG MUITO VISTO


A Direcção da Fiorentina está muita satisfeita com a evolução do blog. Agradece, assim, a todos os visitantes deste site, que vêm crescendo dias pós dias. 

Trata-se de um projecto que tem como propósito divulgar as acções do clube, mas também do desporto, em geral, e tem-no cumprido.


A preferência em relação ao conteúdo do blog é boa e tende a melhorar cada vez mais. É visto, além de Cabo Verde, claro, em vários países do mundo. Destaque também para Portugal e os EUA.


Uma vez mais, os agradecimentos sinceros da Direcção da Fiorentina.  

quarta-feira, 9 de maio de 2012

PAPEL SOCIAL

Fiorentina, como instituição comprometida com o desenvolvimento social do município do Porto Novo tem estado a desenvolver acções que contribuem para a atenuar os problemas das populações nos diferentes domínios.

Os apoios aos mais carenciados, a promoção do ambiente, do desporto, a realização de palestras sobre diversos temas da actualidade são exemplos dessa forma de trabalhar da instituição.


Isso chama-se responsabilidade social. E, a propósito, transcrevemos um texto do Vereador da Câmara Municipal do Porto Novo, Leonildo Oliveira sobre a responsabilidade social dos clubes.  

Eis:    

O PAPEL DOS CLUBES DO DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO

Desenvolvimento comunitário

O enquadramento dos clubes de futebol no processo de desenvolvimento social e comunitário vem ganhando enfoque nos últimos anos, tendo em conta a democratização das sociedades modernas e o envolvimento das comunidades locais no processo de desenvolvimento, criando associações de diversos níveis de actuação.

Uma forma estratégica de transformação social é a articulação de redes intersectoriais de desenvolvimento comunitário, representantes do sector privado, do sector público e de organização da sociedade civil.

O desenvolvimento comunitário acontece quando há desenvolvimento de capital humano, ou seja, fomento ao protagonismo da comunidade e aumento do capital social – capacidade de articulação dos actores e organizações dos três sectores.

O mundo pós-revolução industrial sofreu alterações profundas no seu modelo organizacional, despertando no seio das sociedades uma cultura critica, mas também, começaram a surgir, e com um certo protagonismo, as organizações reivindicativas. Iniciou-se o processo de integração por meio de globalização.
Contudo, este gera efeitos paradoxais:

A exclusão social, o proteccionismo, acções em rede anti-hegemónicas e fortalecimento local com potencialização de vocações.

Com a emergência de experiencias efectivas de desenvolvimento social a partir do “Empoderamento comunitário” e balizadas por redes sociais locais, o sistema mundial está passando por mudanças silenciosas na sua estrutura.

Os espaços locais participam e actuam desse processo, a partir de uma base social, desportiva, cultural e politica local. Os diversos actores do mercado, do Estado e sociedade civil passam a influenciar e interagir nesse processo de forma muito mais articulada e interdependente pois, eles precisam estar atentos para as dinâmicas locais, nacionais e globais. O conceito de desenvolvimento local e comunitário, que ganha espaço nos últimos anos, pode ser entendido como processo endógeno de mobilização das energias sociais em espaços de pequena escala, que implementam mudanças capazes de elevar as oportunidades sociais, a viabilidade económica e as condições de vida da população.

O desenvolvimento deve estar relacionado principalmente, com a melhoria de vida que levamos e das liberdades que desfrutamos. O novo paradigma de desenvolvimento pode ser visto de maneira bastante simplificada “desenvolvimento deve melhorar a vida das pessoas (desenvolvimento humano), de todas as pessoas (desenvolvimento social), das que estão vivas hoje e das que viverão no futuro (desenvolvimento sustentável).
As políticas de desenvolvimentos devem incluir políticas sociais com a participação da sociedade organizada, e por conseguinte, a mobilização articulada das diversas organizações e agentes de desenvolvimento económico, mas também o aporte de capital social, ainda incipiente na nossa sociedade, tendo em vista o desenvolvimento politico-economico-social.
As acções de empoderamento proporcionam numa base económica capaz de assegurar o surgimento de novos empreendimentos, bem como a sua sustentabilidade. A base social garante a solidariedade, o que viabiliza o surgimento de empreendimentos associativos, num processo de transformação da sociedade que se caracteriza pela presença dos seguintes elementos:
- Aumento do nível de consciência de conhecimento da comunidade local com relação aos recursos existentes, capacidades e competências disponíveis no seu meio;

- Aumento do nível de consciência da comunidade com relação ao seu próprio desenvolvimento;

- Mudança de valores das pessoas que são sensibilizadas na sua auto-estima;

- Aumento da participação dos membros da comunidade nas acções empreendedoras locais;

- Inclusão social da comunidade;

- Melhoria de qualidade de vida dos habitantes.

Para ter um desenvolvimento comunitário capaz de proporcionar a interacção dos diversos sujeitos, é preciso que se tenham em conta na elaboração de projectos sociais de desenvolvimento, medidas aglutinadoras e democraticamente discutidas.

Por isso, os projectos de desenvolvimento comunitário são aqueles que:

- Articulam em redes representantes dos três sectores (sector privado, sector público e organização da sociedade civil);
- Potencializam os talentos e recursos locais;
- Capacitam pessoas para o papel de agentes de desenvolvimento social;
- Viabilizam a construção de um projecto comunitário colectivo, que inclui:
- Definição do foco;
- Identificação das demandas da comunidade;
- Planeamento estratégico para definição de objectivos e elaboração de projectos;
- Estratégia de gestão, monitoramento e avaliação dos projectos;
- Geração de modelos de investimentos social privado na comunidade.


A responsabilidade social dos clubes de futebol

QUESTÃO

QUE TIPO DE ACÇÕES OS CLUBES DE FUTEBOL PODEM DESENVOLVER PARA AUXILIAR AS CRIANÇAS E JOVENS QUE PASSAM PELO PROCESSO FORMATIVO A SEREM MELHORES CIDADÃOS DO FUTURO?
O QUE OS CLUBES DE FUTEBOL TEM FEITO ATÉ AO MOMENTO PARA QUE OS ATLETAS E EX-ATLETAS CONTRIBUAM PARA UMA SOCIEDADE MELHOR?
O futebol é um dos fenómenos mais importante da sociedade actual. Arrastando consigo, além do aspecto cultural, outros aspectos económicos, sociais e políticos que vão repercutir na comunidade. Assim, o futebol e o reflexo desses aspectos e ao estudar a sua influência no desenvolvimento social e comunitário, estar-se-á analisar o reflexo dos aspectos estruturais sócio-económicos de uma determinada comunidade.

Hoje, o mundo do futebol não se resume a um simples jogo. Considerado como “desporto rei”, o futebol mexe à sua volta com outros mundos, inevitavelmente indissociados ao seu ambiente, que lhe são dependentes e que fazem depender, conferindo-lhe uma marca interelacional com quase todos os aspectos da vida: económicos, sociais, culturais, demográficos, espaciais, políticos, etc.

Não admira, portanto, que através de futebol, partindo dele, se possa estudar e analisar algumas dessas vertentes, que se reflectem nesta prática desportiva.

No entanto, primeiro que tudo, o futebol é um jogo, um divertimento, uma festa que ajuda a passar o tempo, para muitos, e que é fonte de rendimento para outros.

Constitui, sem dúvida, uma das principais actividades de tempos livres. O futebol representa um espaço de dialogo, pela identificação que engenha, como pela cobertura mediática do mesmo. Faz esquecer ou desviar as tenções sociais, pois os desafios aparecem, sobretudo para o público, como lutar pela afirmação da possessão ou a consolidação dos adeptos numa determinada comunidade.

A responsabilidade social (RS) é tema que remete ao pensamento sobre o papel de cada pessoa ou organização dentro duma determinada sociedade. As primeiras teorias que tratam do tema surgem a partir da década de 1930, mas é no final da década de 1990 que ela aparece como uma abordagem estratégica.

Dentro deste aspecto, é preciso elaborar projectos que oferece aos parceiros a oportunidade de contribuir com a sua parcela de responsabilidade social, pois, muitos dos jovens e adolescentes são provenientes de famílias carentes.

Os clubes tem a responsabilidade de oferecer as crianças e adolescentes das suas comunidades, incluindo comunidades com certas carências, a oportunidade de actuarem em clubes de futebol, tendo como objectivo a sua formação pessoal e desportiva, e com isto, conquistar uma vida saudável, tirando-os das ruas e afastando-os dos males afligem a sociedade.
Os clubes de futebol actuam como tutores por um longo período de vida de crianças e adolescentes, que vivenciam a fase de aprendizagem até alcançarem a fase adulta. Por definição responsabilidade social (RS) é relação de uma organização com os seus diversos “STAKEHOLDERS” (são aqueles que impactam e são impactados pelas acções e decisões das organizações), a respeitar as regras de mercado, a legislação inerente a sua actividade, o desenvolvimento e respeito aos colaboradores internos e as contribuições possíveis para melhoria da qualidade de vida da sociedade.
LEONILDO NASCIMENTO GOMES DE OLIVEIRA


O PAPEL DOS CLUBES DO DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO

O enquadramento dos clubes de futebol no processo de desenvolvimento social e comunitário vem ganhando enfoque nos últimos anos, tendo em conta a democratização das sociedades modernas e o envolvimento das comunidades locais no processo de desenvolvimento, criando associações de diversos níveis de actuação.

Uma forma estratégica de transformação social é a articulação de redes intersectoriais de desenvolvimento comunitário, representantes do sector privado, do sector público e de organização da sociedade civil.

O desenvolvimento comunitário acontece quando há desenvolvimento de capital humano, ou seja, fomento ao protagonismo da comunidade e aumento do capital social – capacidade de articulação dos actores e organizações dos três sectores.

O mundo pós-revolução industrial sofreu alterações profundas no seu modelo organizacional, despertando no seio das sociedades uma cultura critica, mas também, começaram a surgir, e com um certo protagonismo, as organizações reivindicativas. Iniciou-se o processo de integração por meio de globalização.
Contudo, este gera efeitos paradoxais:

A exclusão social, o proteccionismo, acções em rede anti-hegemónicas e fortalecimento local com potencialização de vocações.

Com a emergência de experiencias efectivas de desenvolvimento social a partir do “Empoderamento comunitário” e balizadas por redes sociais locais, o sistema mundial está passando por mudanças silenciosas na sua estrutura.

Os espaços locais participam e actuam desse processo, a partir de uma base social, desportiva, cultural e politica local. Os diversos actores do mercado, do Estado e sociedade civil passam a influenciar e interagir nesse processo de forma muito mais articulada e interdependente pois, eles precisam estar atentos para as dinâmicas locais, nacionais e globais. O conceito de desenvolvimento local e comunitário, que ganha espaço nos últimos anos, pode ser entendido como processo endógeno de mobilização das energias sociais em espaços de pequena escala, que implementam mudanças capazes de elevar as oportunidades sociais, a viabilidade económica e as condições de vida da população.

O desenvolvimento deve estar relacionado principalmente, com a melhoria de vida que levamos e das liberdades que desfrutamos. O novo paradigma de desenvolvimento pode ser visto de maneira bastante simplificada “desenvolvimento deve melhorar a vida das pessoas (desenvolvimento humano), de todas as pessoas (desenvolvimento social), das que estão vivas hoje e das que viverão no futuro (desenvolvimento sustentável).
As políticas de desenvolvimentos devem incluir políticas sociais com a participação da sociedade organizada, e por conseguinte, a mobilização articulada das diversas organizações e agentes de desenvolvimento económico, mas também o aporte de capital social, ainda incipiente na nossa sociedade, tendo em vista o desenvolvimento politico-economico-social.
As acções de empoderamento proporcionam numa base económica capaz de assegurar o surgimento de novos empreendimentos, bem como a sua sustentabilidade. A base social garante a solidariedade, o que viabiliza o surgimento de empreendimentos associativos, num processo de transformação da sociedade que se caracteriza pela presença dos seguintes elementos:
- Aumento do nível de consciência de conhecimento da comunidade local com relação aos recursos existentes, capacidades e competências disponíveis no seu meio;

- Aumento do nível de consciência da comunidade com relação ao seu próprio desenvolvimento;

- Mudança de valores das pessoas que são sensibilizadas na sua auto-estima;

- Aumento da participação dos membros da comunidade nas acções empreendedoras locais;

- Inclusão social da comunidade;

- Melhoria de qualidade de vida dos habitantes.

Para ter um desenvolvimento comunitário capaz de proporcionar a interacção dos diversos sujeitos, é preciso que se tenham em conta na elaboração de projectos sociais de desenvolvimento, medidas aglutinadoras e democraticamente discutidas.

Por isso, os projectos de desenvolvimento comunitário são aqueles que:

- Articulam em redes representantes dos três sectores (sector privado, sector público e organização da sociedade civil);
- Potencializam os talentos e recursos locais;
- Capacitam pessoas para o papel de agentes de desenvolvimento social;
- Viabilizam a construção de um projecto comunitário colectivo, que inclui:
- Definição do foco;
- Identificação das demandas da comunidade;
- Planeamento estratégico para definição de objectivos e elaboração de projectos;
- Estratégia de gestão, monitoramento e avaliação dos projectos;
- Geração de modelos de investimentos social privado na comunidade.


A responsabilidade social dos clubes de futebol

QUESTÃO

QUE TIPO DE ACÇÕES OS CLUBES DE FUTEBOL PODEM DESENVOLVER PARA AUXILIAR AS CRIANÇAS E JOVENS QUE PASSAM PELO PROCESSO FORMATIVO A SEREM MELHORES CIDADÃOS DO FUTURO?
O QUE OS CLUBES DE FUTEBOL TEM FEITO ATÉ AO MOMENTO PARA QUE OS ATLETAS E EX-ATLETAS CONTRIBUAM PARA UMA SOCIEDADE MELHOR?
O futebol é um dos fenómenos mais importante da sociedade actual. Arrastando consigo, além do aspecto cultural, outros aspectos económicos, sociais e políticos que vão repercutir na comunidade. Assim, o futebol e o reflexo desses aspectos e ao estudar a sua influência no desenvolvimento social e comunitário, estar-se-á analisar o reflexo dos aspectos estruturais sócio-económicos de uma determinada comunidade.

Hoje, o mundo do futebol não se resume a um simples jogo. Considerado como “desporto rei”, o futebol mexe à sua volta com outros mundos, inevitavelmente indissociados ao seu ambiente, que lhe são dependentes e que fazem depender, conferindo-lhe uma marca interelacional com quase todos os aspectos da vida: económicos, sociais, culturais, demográficos, espaciais, políticos, etc.

Não admira, portanto, que através de futebol, partindo dele, se possa estudar e analisar algumas dessas vertentes, que se reflectem nesta prática desportiva.

No entanto, primeiro que tudo, o futebol é um jogo, um divertimento, uma festa que ajuda a passar o tempo, para muitos, e que é fonte de rendimento para outros.

Constitui, sem dúvida, uma das principais actividades de tempos livres. O futebol representa um espaço de dialogo, pela identificação que engenha, como pela cobertura mediática do mesmo. Faz esquecer ou desviar as tenções sociais, pois os desafios aparecem, sobretudo para o público, como lutar pela afirmação da possessão ou a consolidação dos adeptos numa determinada comunidade.

A responsabilidade social (RS) é tema que remete ao pensamento sobre o papel de cada pessoa ou organização dentro duma determinada sociedade. As primeiras teorias que tratam do tema surgem a partir da década de 1930, mas é no final da década de 1990 que ela aparece como uma abordagem estratégica.

Dentro deste aspecto, é preciso elaborar projectos que oferece aos parceiros a oportunidade de contribuir com a sua parcela de responsabilidade social, pois, muitos dos jovens e adolescentes são provenientes de famílias carentes.

Os clubes tem a responsabilidade de oferecer as crianças e adolescentes das suas comunidades, incluindo comunidades com certas carências, a oportunidade de actuarem em clubes de futebol, tendo como objectivo a sua formação pessoal e desportiva, e com isto, conquistar uma vida saudável, tirando-os das ruas e afastando-os dos males afligem a sociedade.
Os clubes de futebol actuam como tutores por um longo período de vida de crianças e adolescentes, que vivenciam a fase de aprendizagem até alcançarem a fase adulta. Por definição responsabilidade social (RS) é relação de uma organização com os seus diversos “STAKEHOLDERS” (são aqueles que impactam e são impactados pelas acções e decisões das organizações), a respeitar as regras de mercado, a legislação inerente a sua actividade, o desenvolvimento e respeito aos colaboradores internos e as contribuições possíveis para melhoria da qualidade de vida da sociedade.


LEONILDO NASCIMENTO GOMES DE OLIVEIRA

terça-feira, 8 de maio de 2012

ESCOLINHA DE FUTEBOL


A escola de iniciação desportiva da Fiorentina, com quase quatro anos de funcionamento, poderá, dentro de pouco tempo, abraçar a um outro projecto.


Está nos planos do clube alargar a acção da escolinha com a introdução do andebol, modalidade em que a Fiorentina está a competir. 

Note-se, contudo, com alguma tristeza, que apesar de a escola ser reconhecida pela Direcção-Geral do Desportos e ter sido já convidada a participar em vários eventos, tanto em Santo Antão como em São Vicente, uma certa resistência de alguns em aceitarem o seu papel na formação dos jovens.


Mas, o trabalho desenvolvido até agora fala por si. Só quem desconhece o excelente trabalho que a escola tem estado a fazer é que tem esse tipo de atitude.   

Dados da escola:

Criação: 30 de Agosto de 2008
Nº de jovens que frequenta a Escolinha:

·         Masculino: 66
·          Feminino: 27


Escalões: sub 10, sub, 12, sub, 15

Títulos: Sub 12 :  1º lugar Torneio de S. João 2010 
Títulos: Sub 15 : 1º lugar Torneio de S. João 2010


Nº de Monitores 4 (quatro), sendo um coordenador.

Participação em seguintes actividades:

Torneio de S. João 2010 escalões sub 10, 12 e 15 na Cidade do Porto Novo; 

Torneio em comemoração do dia de desporto nacional, Novembro de 2010 no escalão sub 15 na cidade do P. Novo; 

Torneio entre Escolas de S. Antão no escalão sub 13 em Tarrafal de povoação em Rª Grande.

segunda-feira, 7 de maio de 2012

PERCURSO SUCESSO


A Fiorentina comemora, este ano, 18 anos de vida. O clube foi fundado em Outubro de 1994 e oficializado em 2003. É uma instituição com muita história.

Tem feito o seu percurso com altos e baixos, como é normal na vida de qualquer organização,  mais um trajecto de sucesso. 

Foram muitas as conquistas do clube ao longo desses anos e muito significativo tem sido o contributo que a Fiorentina tem vindo a dar ao desporto portonovense.

Esse contributo é evidente e tem sido dado através da promoção das diversas modalidades: futebol, futsal, basquetebol, andebol, atletismo.

 No futebol, o clube conquistou em 2007/2008, o título de CAMPEÃO REGIONAL em Santo Antão-Sul.

Ainda no futebol, a escola de futebol, que em Agosto assinala quatro de existência, foi um dos mais importantes projectos implementados até agora pela Fiorentina.

Foi o primeiro clube em Porto Novo a montar uma escola de futebol.  

No basquetebol, além de DOIS CAMPEONATOS de Santo Antão, a Fiorentina foi revelação nacional, em 2009.

Em 2011, a nossa agremiação abraçou um novo projecto a nível de andebol, com uma equipa forte, um dos mais sérios candidatos ao título regional de Santo Antão.

Por circunstâncias vária, a Fiorentina deixou de competir oficialmente em 2010/11, mas regressou na época 2011/12 ao futebol oficial.

Fiorentina continua o seu percurso. E, já que, o desporto não é apenas futebol, o clube não pára de dar o seu contributo para que o desporto em Santo Antão vá adiante.

Neste ano de 2012, a grande aposta é na construção da sede social do clube, cuja inauguração tem lugar ainda neste mês de Maio.  

TAÇA SANTO ANTÃO


Apesar de ser uma grande equipa, a Fiorentina ficou na última posição na taça Santo Antão, que foi denominada Taça Santo Antão. As expectativas eram, de facto, muitas, mas a equipa, dotada de grandes jogadores (dos melhores que há em Santo Antão) desiludiu os adeptos.

Faltou à equipa, se calhar, um pouco de humildade, atributo imprescindível para se quer ganhar título.

Falhada a conquista do torneio de abertura e, agora, da Taça Santo Antão, a aposta da equipa vai ser no campeonato. Para já, a Fiorentina ficou em primeiro lugar na fase regular (1ª fase) do campeonato, um bom pressagio para o sucesso na prova rainha do andebol em Santo Antão.  

A fase final (play-off) começa a ser disputada a 19 deste mês de Maio, entre as 4 melhores equipas do campeonato : Fiorentina, Cruz Vermelha, Marítimo e Rosariense.    

sábado, 5 de maio de 2012

ANDEBOL EM DESTAQUE


O treinador da equipa de andebol da Fiorentina, Josi, está satisfeito com a prestação da equipa no campeonato regional de andebol de Santo Antão. A equipa ficou em primeiro lugar na fase regular, graças ao excelente desempenho dos jogadores nessa importante prova do andebol em Santo Antão.

Nos oito jogos disputados, a Fiorentina conquistou seis vitórias. Empatou um jogo e teve apenas uma derrota.

Isso demonstra, segundo Josi, a grande capacidade competitiva da Fiorentina, um dos mais sérios candidatos ao título regional de Santo Antão.

Uma equipa recheada de bons jogadores, dos quais se destacam o jovem Londy, com apenas 17 anos, e já um dos grandes valores do andebol santantonense.